17
Jul
2019

Hepatites virais no Brasil e a conscientização através do “Julho Amarelo”

Por: Marketing CBEXs

“O tratamento revolucionou a questão da Hepatite C no Brasil.

Mas, para ter cura, precisamos de tratamento e para isso precisamos testar e diagnosticar os indivíduos, principalmente os de grupos vulneráveis”

 

 

Instituído pela Organização Mundial da Saúde, o Dia Mundial de Luta contra as Hepatites Virais é comemorado no mês de Julho. O “Julho Amarelo” visa a conscientizar sobre a importância da prevenção, do diagnóstico e do tratamento das Hepatites Virais, especialmente B e C.

 

O Ministério da Saúde estima que existam 1,7 milhão de portadores do vírus da hepatite C e 756 mil portadores do vírus da hepatite B no Brasil, e muitas dessas pessoas não sabem que estão com o vírus. O conhecimento da existência da doença, principalmente nessa população, é o propósito da campanha.

 

As hepatites frequentemente são assintomáticas nos estágios iniciais e são doenças de longa duração, por isso a recomendação de realização dos testes para diagnosticar devem ser feitos pelo menos uma vez na vida. Sirlene Caminada, Coordenadora do Programa Estadual de Hepatites Virais, do Estado de São Paulo, ressalta a importância das ações no mês de Julho, que em muitos casos possui prevenção, tratamento e cura. “O tratamento revolucionou a questão da Hepatite C no Brasil. Mas, para ter cura, precisamos de tratamento e para isso precisamos testar e diagnosticar os indivíduos, principalmente os de grupos vulneráveis. Com os testes o número de diagnóstico aumenta e de tratamentos também”, explica.

 

Com a evolução da assistência à saúde, o avanço da tecnologia, do conhecimento e biossegurança, os números de casos de transmissão de hepatites através de procedimentos médicos diminuiu consideravelmente. Mesmo com os custos mais altos, os profissionais e gestores da área da saúde incorporaram os progressos da medicina, o que fez com que os pacientes ficassem mais seguros e protegidos de possíveis contaminações.

 

Segundo Sirlene, a principal importância dessas ações é levar conhecimento da doença para a população. Os testes que detectam as hepatites podem ser realizados em laboratórios ou nos serviços públicos de saúde. “Existe um plano de ação clínico para qualificar as redes de cuidados da população,  são etapas do cuidado com o indivíduo que o acompanham, desde o teste rápido, o diagnóstico, laudo, até e aconselhamento para o serviço de tratamento correto”, completa a coordenadora do programa. Essa jornada que leva o paciente “do teste ao tratamento ou vacinação (prevenção)” é de extrema importância para os hospitais e clínicas médicas, as quais podem acompanhar o caso, além de ter possível controle da doença.